Cinco fatores essenciais para criar a identidade visual corporativa

A crescente digitalização e a popularização de novas ferramentas informáticas de design colocaram ao alcance de praticamente qualquer utilizador ou empresário a criação de logotipos, material corporativo e diversos elementos que integram a identidade visual de uma marca. No entanto, o mero conhecimento técnico não é suficiente e, em mãos inexperientes, o processo de design de uma marca pode tornar-se mais um problema do que um ativo empresarial.

Para além de utilizar as ferramentas técnicas mais avançadas, no momento de criar uma identidade visual atrativa, funcional e rentável, é necessário ter em conta pelo menos cinco fatores essenciais.

 

1. A IDENTIDADE CORPORATIVA É MAIS DO QUE APENAS UM LOGOTIPO

Talvez pareça óbvio, mas a essência para criar uma identidade visual corporativa acertada e duradoura é ter a noção de que esta vai para além da seleção de um logotipo ou uma tipografia. Trata-se de um processo de planificação, design e execução de toda a expressão visual de uma marca e que deve contribuir para a sua construção, fazendo-a centrar-se no que é importante e dando-lhe um discurso atrativo e próprio, que esteja obviamente em sintonia com os valores e a estratégia definidos para a marca. É também composto por vários aspetos, como a identidade visual, a identidade verbal, o sistema de expressão ou os códigos gráficos ou de estilo. É, de facto, cada vez mais importante que uma mensagem ou um suporte permitam reconhecer a marca, mesmo antes de se ver o logótipo.

2. A ORIGINALIDADE NUNCA É DEMAIS

Criar identidades visuais únicas e diferentes não é um desafio fácil num momento em que parece que tudo está inventado, mas não só é possível, como também desejável. Para implementar corretamente a identidade visual, é importante apoiar-se na brand voice, que é o tom e estilo que define a forma de falar e expressar-se de uma marca e o que a diferencia da concorrência. Graças a ela, será possível obter uma identidade visual única, alinhada com a estratégia de marca e que contribua para oferecer ao público a experiência desejada.

3. PENSAR A LONGO PRAZO

Um dos fatores essenciais para a construção e gestão de uma boa marca é prestar atenção às tendências, sejam estas de design, sociais ou tecnológicas. Porém, não se trata de seguir a última tendência, mas de analisar como estas podem influenciar a nossa marca nos próximos 10 ou 15 anos e, com base nisso, elaborar uma estratégia a longo prazo, conceber uma identidade visual que perdure. Quando trabalhamos em identidade visual, temos de pensar num horizonte a médio e longo prazo, pelo que é necessário fugir das tendências, uma vez que estas, por definição, passam de moda num curto espaço de tempo.

É claro que não é fácil criar uma identidade visual que funcione dentro de 10, 20 ou 30 anos, mas sempre existe a possibilidade de realizar alterações estéticas posteriores que atualizem a marca, mantendo a ideia original. Iconografia, tipografia, gama cromática… são elementos que podem ser atualizados se a identidade corporativa tiver força suficiente.

Coca-Cola, Nike, McDonald’s, Facebook ou Lloyds são exemplos de marcas que mantiveram a sua essência ao longo dos anos graças a um design adequado no momento em que foram criadas. Consulte aqui os pioneiros da identidade corporativa em Espanha.

4. A FUNCIONALIDADE, UM ELEMENTO A TER MUITO EM CONTA

O quarto fator essencial para construir uma identidade visual corporativa funcional a curto, médio e longo prazo é ter em conta os suportes, meios ou ponto de contacto em que se vai manifestar. Não é igual se a marca vai ser vista a uma longa distância ou num suporte muito pequeno. Não é igual se se trata de um produto de impulso ou de uma compra ponderada. É importante ter todos estes critérios em conta.

Projetos excelentes e dispendiosos fracassaram por não terem tido em conta a adaptação da identidade visual às necessidades digitais que a internet apresenta, aos ecrãs panorâmicos ou às aplicações interativas, só para citar alguns exemplos. Construir uma identidade visual adaptável e versátil não é um capricho, é uma das chaves do êxito do investimento.

5. A ESTRATÉGIA DE MARCA FÁ-LA CENTRAR-SE NO QUE É IMPORTANTE E TRAZ INSPIRAÇÃO

Para desenhar uma identidade de sucesso não é imprescindível, mas é muito importante ter uma estratégia de marca que sirva de inspiração e de foco para a exploração criativa. Uma estratégia de marca serve para muito mais do que para avaliar a adequação de um logotipo, mas se estiver bem definida, será muito mais fácil não só definir a identidade corretamente, mas sobretudo ter critérios claros no momento de avaliar as propostas dos designers. E a sua opinião, qual é?

Comentários

Ainda não existe nenhum comentário neste post

Escreva comentário