Como definir o seu território de marca para um bom branding

Redacción

Como definir o seu território de marca para um bom branding

O desejo de todas as marcas, quer sejam novas ou já existentes, é serem reconhecidas ou instantaneamente lembradas pelos utilizadores, mas isso não é uma tarefa simples, pois requer trabalhar o branding da marca de uma forma rigorosa. Para tal, uma das tarefas que ajudam e contribuem é definir o território da marca.

O que se entende por território de marca?

Entende-se por território de marca o espaço conceitual que se pretende que o público associe à nossa marca. Definindo este território, criamos as bases para dar conteúdo à marca e dotamo-la com mais recursos para criar iniciativas e conversas, estreitando as relações com o público-alvo ao qual se dirige.

Por exemplo, o território da marca Redbull é claro e é definido pela adrenalina. A partir daí, todas as suas ações giram em torno deste espaço em que a empresa pretende posicionar-se (e conseguiu-o largamente).

É muito vantajoso para as empresas dedicar algum tempo a realizar uma reflexão juntamente com profissionais para a criação do referido território. Aqui estão algumas dessas vantagens:

  • Ajuda a marca a destacar-se no seu sector.
  • Levanta questões de interesse comum com o seu público-alvo, aumentando a conexão entre marca e público.
  • Serve de inspiração e orientação para as equipas internas e externas na criação de conteúdos e ações relevantes para o seu público-alvo.
  • Facilita a definição de mapas de conteúdos para as redes sociais, ações, patrocínios, ou até mesmo para entrar em contacto com pessoas influentes que possam ajudar ao posicionamento que se pretende alcançar, garantindo que contribuem positivamente para a construção da marca.
  • Ajuda definitivamente a marca a comunicar de forma coerente e eficaz.

 

Etapas para definir corretamente o território de marca

Para definir o território de uma marca, recomendamos seguir cinco passos:

  1. Fazer uma lista dos territórios mais recorrentes da categoria.
  2. Identificar que territórios ocupa a concorrência.
  3. Identificar territórios relacionados com a identidade, os valores e atributos, personalidade e propósito que caracterizam a marca.
  4. Identificar a quais deles a empresa deve legitimamente dedicar o seu tempo.
  5. Selecionar não mais do que quatro territórios, utilizando como critérios: quais são os mais diferentes, quais são necessários para reforçar algum aspeto-chave da marca e quais nos ajudam a comunicar melhor.

A partir daí, temos uma base para definir corretamente os territórios da marca. Mas para definir territórios que realmente desenvolvam todo o potencial de uma marca, são necessários profissionais de branding que contribuam com uma combinação de pensamento criativo e estratégico.

territorio de marca

Tomemos como exemplo uma empresa dedicada às energias renováveis — faria sentido propor ocupar territórios relacionados com o ambiente, a mudança climática, a transparência, etc. Mas é altamente provável que esses territórios já estejam ocupados e sejam recorrentes no sector. Encontrar espaços próprios, que possam ser explorados e capitalizados para a marca não é tarefa fácil. Neste sentido, os pontos 3 e 4 são essenciais, mas isso exige que tenhamos definido previamente uma estratégia de marca rigorosa e, sem dúvida, que contemos com o apoio de profissionais.

Como é a nossa marca? Que necessidades atuais existem? Como é que se pretende que os clientes a percepcionem? Que áreas e temas são relevantes para os nossos clientes? De que podemos falar com legitimidade? …estas são algumas das perguntas que os especialistas em branding fazem antes de começar a construção de um território de marca que gere envolvimento com o público-alvo e transmita fielmente os significados da marca.

Anterior Seguinte

E você, o que você acha?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *