Employer branding e a sua importância o negócio

Redacción

Employer branding e a sua importância o negócio

O que significa employer branding? Trata-se de um dos exemplos de branding mais desconhecidos, mas que acaba por se repercutir na imagem corporativa da sua empresa, nos clientes, nas vendas e, consequentemente, no seu negócio.

Se prestarmos atenção aos dois termos que fazem parte (employer = empregador; brand = marca), não será difícil deduzir que é algo relacionado com a imagem que projeta uma empresa ou marca em relação ao seu perfil de empregador. É isso mesmo: employer branding é a imagem que projeta uma empresa como empregador e inclui, por exemplo, como se apresenta aos seus candidatos, como os escolhe e contrata e também como se relaciona e trata os seus trabalhadores. É o resultado da capacidade da marca atrair e conservar, neste caso, o talento.

Vamos ver com mais profundidade estes dois enfoques para compreender como podem influenciar o seu negócio.

Employer branding e os candidatos

O employer branding de uma empresa pretende destacar os atributos que a tornam mais interessante ou atrativa como empregadora e, portanto, para trabalhar nela.

Imaginemos uma empresa que publica um anúncio de trabalho. Se só revelar o salário, descrever o trabalho a realizar e os detalhes profissionais para quem é elegível de apresentar uma candidatura, está a desperdiçar a oportunidade de transmitir também certos valores e atributos que possam fazer com que, em igualdade de condições ou não, os candidatos prefiram esta oferta laboral a outras que existam no mercado, incluindo nas empresas da concorrência. Se o anúncio de trabalho está focado na perspetiva da marca, a empresa está a construir o seu employer branding e está a reforçar a sua capacidade de atrair pessoas que se identifiquem com os seus valores e forma de atuar… Qual é então o resultado? Que hajam pessoas que têm uma maior predisposição para trabalhar para essa companhia.

Imaginemos que essa empresa, recebe 100 candidaturas para um anúncio de trabalho. Depois de analisar os currículos de cada candidato, decide entrevistar apenas 10. Mas, aos outros 90 escreve-lhes um e-mail personalizado comunicando-lhes que, nesta ocasião, o seu perfil não encaixa com o anúncio, e que esperam encontrar uma oportunidade de vir a trabalhar com eles no futuro. Com este gesto, a empresa também está a construir o seu employer branding. Qual é o resultado neste caso? Que as pessoas não selecionadas não fiquem ressentidas com a empresa e que, por isso, não tenham motivos para falar mal dela e de prejudicar a sua imagem corporativa.

Chegou o momento de receber os 10 candidatos escolhidos que vão realizar uma entrevista pessoal. Se a empresa realiza as entrevistas num espaço adequado, em condições acordes com o estilo e personalidade da marca e, para além disso, se a pessoa que os entrevista é um bom embaixador dos valores e personalidade da marca, tanto o candidato que é finalmente eleito como os outros 9, vão se sintir em sintonia com o que a marca conota e vão sair da entrevista com vontade de trabalhar nessa empresa. Deste modo, a empresa continua a construir um bom employer branding.

A respeito ao employer branding, o que acontece com o candidato escolhido que se tornará colaborador da empresa? Vamos descobrir no seguinte ponto.

Employer branding e os colaboradores

Oscolaboradores, tal como os candidatos, devem fazer parte do employer branding. As pessoas contentes e satisfeitas no trabalho projetam essa satisfação para fora da empresa, durante o seu tempo livre, com a família e amigos, e espalham a palavra até chegar aos ouvidos dos clientes atuais e potenciais dessa empresa.

Imaginemos que a empresa do exemplo anterior trata os seus empregados da melhor forma possível, tanto nos aspetos funcionais como emocionais. Por exemplo, paga os salários nas datas acordadas, preocupa-se que os escritórios e lugares de trabalho sejam cómodos e confortáveis, motiva todo o pessoal para que se desenvolvam pessoal e profissionalmente, ouve as suas sugestões e queixas, etc. Tudo isto cria um nível de satisfação e de identificação dos colaboradores com a marca, ou seja, com a empresa.

E se os trabalhadores estiverem satisfeitos, irão projetar essa satisfação nos seus círculos tanto pessoais como profissionais, o que também provocará melhores resultados para a empresa. As pessoas que tiverem um contacto direto com os clientes vão dispor de um estado emocional que lhes permitirá atender o cliente da melhor forma possível, transmitindo o seu conforto, segurança e satisfação. Será algo espontâneo, e essa motivação intrínseca transmitida aos clientes vai acabar por traduzir-se em vendas.

Por outro lado, as empresas com um bom employer branding, vão atrair pessoas com mais talento, eficazes e eficientes com uma maior facilidade. E nem é preciso dizer que uma empresa que conta com trabalhadores com talento, eficazes e eficientes consegue ter melhores resultados.

Portanto, esta faceta da gestão da marca, neste caso em termos de empresa empregadora, também ajuda a melhorar os resultados de negócio das empresas.

Anterior Siguente

E você, o que você acha?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Sigue leyendo: más historias que pueden interesarte.