Os logótipos e as marcas das start-ups mais influentes

Redacción

Os logótipos e as marcas das start-ups mais influentes

Neste post, descubra a nossa seleção das start-ups mais influentes da última década. Destacaremos também a sua evolução enquanto marcas, dando especial protagonismo aos seus logótipos.

Os avanços tecnológicos marcaram o desenvolvimento da última década. Os nossos hábitos de consumo, a forma como comunicamos, fazemos negócios ou nos relacionamos são agora muito diferentes do que eram há apenas 10 anos. Neste contexto, surgiram várias start-ups que se tornaram imprescindíveis no dia-a-dia de milhões de pessoas.

Instagram 

O Instagram, a rede social que «seduziu» o Facebook, foi criado no princípio da década, em 2010. A sua aquisição por parte do Facebook custou mil milhões de dólares, tornando-se na compra mais cara de uma rede social até à data.

Hoje em dia, o Instagram é uma das redes com mais utilizadores em todo o mundo, juntamente com o Facebook, o YouTube e o WhatsApp. O seu logótipo é um dos mais reconhecidos a nível mundial. E isto apesar de nem sempre ter sido o que hoje conhecemos. Não nos esqueçamos de que, em 2016, este sofreu uma mudança radical com o objetivo de afastar o Instagram da imagem de rede social dedicada exclusivamente à fotografia.

Inspirado no ícone original, embora simplificado e prescindindo do estilo retro, o novo logótipo procurava destacar as utilizações «vibrantes e diversas» que podem ser dadas a esta plataforma, através de um estilo minimalista, com um design liso e cores de fundo em dégradé. Foi, sem dúvida, uma transformação importante que pretendia tornar visível a evolução da rede social ao longo do tempo.

Facebook

Embora o Facebook tenha sido a start-up que revolucionou o mundo há mais de uma década, hoje em dia continua a ser a rede social com mais utilizadores do planeta, pelo que tem direito a aparecer nesta lista das start-ups mais influentes.

Tendo começado como uma start-up, o Facebook também cresceu ao absorver outras redes sociais bem-sucedidas, como o Instagram e o WhatsApp Messenger, para além de criar outra rede complementar, o Facebook Messenger, reunindo assim as redes sociais com mais utilizadores do mundo.

O seu logótipo é reconhecido nos quatro cantos do mundo e também foi redesenhado recentemente. O motivo, entre outros, foi a necessidade de diferenciar a Facebook App da empresa Facebook. Desta forma, o novo design facilita a identificação dos produtos e serviços tecnológicos que fazem parte da marca, como o Oculus, Portal, Calibra e Workplace, além das redes sociais já mencionadas.

O novo logótipo, que agora aparece em todas as suas marcas, caracteriza-se por ser:

  • Claro, simples e reconhecível em todas as marcas, com uma fonte cujo dégradé é diferente em função da marca na qual aparece.
  • Empático, respeita a paisagem e o contexto em que se insere, de forma a apoiar as pessoas e as histórias partilhadas nas suas redes sociais.

 

Airbnb

Desde o seu aparecimento em Março de 2009, e ao longo dos últimos 10 anos, o modelo de negócio do Airbnb mudou os hábitos de milhares de pessoas em todo o mundo no que toca ao aluguer de casas para férias e escapadelas.

Também esta start-up repensou o seu logótipo, provavelmente porque o seu foco estratégico tinha mudado e o logótipo já não o representava. Esta é uma das razões pela qual se costuma realizar um restyling numa start-up.

O seu novo logótipo projeta os quatro pilares que, como indicam os seus designers, representam a personalidade da marca: pessoas, lugares, amor e Airbnb. Além disso, a experiência Airbnb tinha de ser identificável em todo o mundo e em todos os pontos de contacto de uma marca em pleno crescimento e cada vez mais presente em mais países.

Uber

À semelhança do Airbnb, a Uber foi criada em Março de 2009 e, em poucos anos, mudou radicalmente o ecossistema da mobilidade nas cidades de todo o mundo.

O crescimento da empresa, que, em pouco tempo, passou de uma start-up criada em São Francisco a uma empresa global, também levou a uma transformação da imagem corporativa em 2016. A esta seguiu-se outro rebranding passados apenas dois anos, em 2018, para estabelecer uma maior ligação entre a marca e os utilizadores.

O logótipo atual é simples, acessível e aproveita o reconhecimento da marca por parte dos utilizadores. De tal forma que se desprende do símbolo, concentrando-se numa fonte própria em minúsculas.

Como vimos no caso do Facebook, a empresa Uber Technologies Inc. também ampliou a sua gama de serviços, pelo que outra das razões do seu rebranding foi fazer com que o logótipo fosse imediatamente identificado nas restantes extensões da marca, como é o caso da Uber Eats.

A importância do logótipo

Como já referimos noutras ocasiões, um logótipo bonito não é suficiente para construir uma marca. Mesmo que seja um elemento simbólico e expressivo que, se for adequado e estiver em sintonia com a estratégia de negócio, pode ajudar a start-up no seu crescimento (ou o inverso).

Para que perdure no tempo, o logótipo deve expressar a personalidade e a essência da marca. Sem esquecer ainda que o logótipo, embora seja importante, é apenas um dos elementos da identidade de uma marca.

À semelhança do que fizeram as start-ups mais influentes, nunca devemos subvalorizar outros elementos como, a título de exemplo, o tom de voz ou o estilo visual, que devem ser coerentes e perfazer um todo no qual se possa reconhecer a marca e a sua estratégia.
Ebook Branding Digital - Summa Branding

Anterior Seguinte

E você, o que você acha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *