Packaging: cinco tendências para se aproximar do consumidor

Isabel Santomé

Packaging: cinco tendências para se aproximar do consumidor

Se o dia a dia dos consumidores se altera, o mesmo acontece com as suas decisões de compra. A fase que estamos a viver, marcada pela incerteza, está a afetar profundamente o consumidor, que se reinventou. Mais do que nunca, as marcas devem oferecer respostas, guiadas não só pelos seus interesses legítimos ou procurando apenas o benefício económico, mas também satisfazendo as necessidades coletivas. E o packaging não é (ou não deve ser) alheio a este movimento social, económico e empresarial. O packaging deve acompanhar uma série de tendências para se aproximar do consumidor.

As empresas que oferecem produtos de grande consumo operam num contexto mais exigente. Assim, é mais importante do que nunca que o consumidor, as suas necessidades e expectativas, estejam no centro de todas as decisões, incluindo as que afetam os seus produtos e respetivo packaging.

Estas são cinco tendências, e os seus exemplos, que já estão a influenciar o mundo do packaging de forma significativa.

Tendência n.º 1: desacelerar e reconectar

O packaging une-se ao movimento slow para se associar de forma mais direta à necessidade do consumidor de parar e redefinir os seus padrões de vida e de consumo. E fá-lo através de um estilo visual calmo, em que a simplicidade é a chave, mas sem perder a capacidade de comunicar.

Cores suaves, fundos de cor sólida, estruturas gráficas austeras com composições centradas, tipografias constantes e um toque artesanal são outros dos recursos utilizados nestas embalagens em que triunfa a máxima «menos é mais».

slow packaging

Tendência n.º 2: o fim da obsolescência

E se a embalagem de um produto não tivesse de ir para o lixo? E se o packaging continuasse a ser utilizado mesmo além da vida útil do produto? E se em vez de criar o melhor packaging do mundo se tentasse criar o melhor packaging para o mundo?

São cada vez mais as empresas que procuram a sustentabilidade através do packaging, com o objetivo de reduzir o impacto ambiental e de consciencializar os consumidores. Algumas ideias básicas a ter em conta para desenhar embalagens mais ecológicas incluem:

  • Reduzir e otimizar a utilização de materiais.
  • Priorizar materiais recicláveis e/ou biodegradáveis com base no tipo de produto.
  • Utilizar, por exemplo, tintas vegetais, colas ecológicas, ou papel com selos ecológicos (papel 100% reciclado, sem cloro), assim como selos que certificam que o papel é proveniente de florestas geridas responsavelmente.
  • Realizar packagings reutilizáveis com funções adicionais para aumentar a sua vida útil e dotá-los de um valor eco.

A Coca-Cola com as suas tampas reutilizáveis, a Lee com os seus packs multitarefas, os recipientes biodegradáveis da Paboco ou os recipientes sem água, ou à base de fibras vegetais, são alguns dos exemplos já existentes.

«Uma garrafa de papel em cada mão: assim será o futuro se o nosso projeto inovador for bem sucedido. O potencial comercial e de sustentabilidade é enorme.» – Florian Müller, diretor de tecnologia da Paboco

packaging reutilizable Lee

Tendência n.º 3: integrar o espaço digital no físico

A integração destes dois espaços, o desafio omnichannel, é cada vez mais importante para as marcas. Os novos hábitos de consumo e o comportamento do utilizador modificaram os padrões de compra e a customer journey, sendo o mais habitual que uma experiência de marca comece online e acabe offline, ou vice-versa.

Esta tendência levou ao aparecimento de cacifos para levantar as compras feitas online, propiciou o ressurgimento da realidade aumentada (a Apple estaria prestes a lançar uns óculos que, entre outras coisas, permitiriam interagir com as encomendas) e colocado o foco na melhoria da experiência pós-entrega e da embalagem como dispositivo.

Tendência n.º 4: reinterpretar o luxo

O luxo sustentável está a revolucionar os códigos do packaging de luxo e o mundo dos produtos premium reinventa-se de forma sustentável, consciente das profundas mudanças que estão a acontecer a nível mundial, sem perder o seu brilho e atratividade.

Há cada vez mais marcas de luxo que estão a modificar as suas embalagens para as tornarem mais sustentáveis, quer através da utilização de uma maior quantidade de materiais reciclados nos packagings, quer através de embalagens compostáveis. Tudo sob o lema «Green is the new black».

A Veuve Clicquot é uma das empresas do setor do luxo que trabalha ativamente em soluções inovadoras e ecológicas.

Veuve Cliqot

Tendência n.º 5: o ativismo chega ao packaging

O packaging é um elemento que faz parte do dia a dia dos consumidores, pelo que deve refletir os valores de cada sociedade e o seu momento histórico, da mesma forma que é capaz de comunicar mensagens de marca.

É importante perceber que a sociedade mudou e refletir essa diversidade nos nossos packagings, oferecendo soluções que se adaptem ao seu estilo de vida. Assim, nos últimos tempos, vimos o movimento Black Lives Matter chegar aos supermercados, em marcas como a Colgate ou a Nestlé, para apoiar a luta contra o racismo.

Blakc lives matters

Anterior Seguinte

E você, o que você acha?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Keep reading: mais histórias que podem lhe interessar.