Três ferramentas de gestão de marca

Implementar campanhas de branded content, de SEO e SEM, de anúncios, entre outras, é uma prática aconselhável para uma marca. Contudo, para garantir o êxito a longo prazo, é imprescindível contar com uma gestão global que vá além do marketing e da comunicação. E, para tal, são necessárias ferramentas de gestão de marca.

Assim, e tendo em conta as 10 dicas para gerir marcas, concentremo-nos em ferramentas que ajudem os brand managers na sua gestão cada vez mais complexa.

Para implementar a marca de forma coerente

Uma das principais preocupações de qualquer responsável de marca é a de garantir o uso correto desta por parte de todos os colaboradores e parceiros, internos ou externos.

Se a mensagem não for unívoca, não estamos a contribuir para a construção da marca. Assegurar uma correta implementação, em todos os seus suportes e pontos de contacto com os clientes, é fundamental para difundir um discurso coerente e consistente com a nossa estratégia. E nisto está implícito outro aspeto importante: o controlo sobre aquilo que se faz a nível de implementação. Ferramentas como o BrandCenter Aggylon permitem organizar, armazenar, partilhar e gerir de forma eficiente e profissional os materiais, as pessoas e os processos relacionados com a marca e com a estratégia de marketing e comunicação. Esta ferramenta SaaS e DAM permite publicar normas e guias de estilo, partilhar, organizar e procurar recursos de forma simples e ágil, criar online peças de marketing com base em templates e gerir e supervisionar projetos através de workflows simples.

Para conhecer e analisar os riscos a que está sujeita

Num contexto cada vez mais complexo, volátil e incerto, os riscos a que as marcas estão sujeitas aumentam consideravelmente e podem comprometer os resultados e o desempenho do negócio. Por isso, conhecer e mitigar os perigos que as marcas enfrentam, bem como o seu impacto económico, é fundamental para garantir o seu rendimento.

No entanto, paradoxalmente, as empresas apenas identificam, medem e gerem os riscos de marca para além da reputação, que acaba por ser uma consequência e não uma causa, pelo que estas ficam sujeitas a diversos perigos cujo impacto pode ter consequências imprevisíveis.

É importante categorizar adequadamente os riscos específicos a que se sujeitam as marcas, aprofundar as consequências reais, definir planos para mitigar o seu impacto e assegurar aquilo que se divulga. Os modelos atuais não contemplam, de forma completa e exaustiva, os riscos que afetam as marcas, pelo que é necessário contar com ferramentas específicas, avançadas e ativáveis que assegurem melhor o valor e o rendimento futuro das marcas. O Brand Risk nasceu para medir e analisar os riscos a que as marcas estão sujeitas e monitorizar o possível impacto destes nos planos estratégicos de negócio.

Para conhecer aquilo que se diz sobre a marca

Além de medir o que dizem os meios, hoje em dia as redes sociais são um player fundamental. Com ferramentas como a Sentimétrika da Summa podemos obter uma visão geral sobre a troca de mensagens em torno do setor da categoria estudada e da marca em concreto. Volume de menções, qual o feeling da conversação, quem e onde fala, quais são os temas mais importantes, quais são as tendências…

Também pode conhecer-se a influência nas redes sociais através das ações realizadas neste meio e da atividade relacionada com a marca por parte dos utilizadores.

New Call-to-action

Comentários

Ainda não existe nenhum comentário neste post

Escreva comentário